Postado por Leonardo Carvalho, 28 de março de 2021 - 20:50.

Você tem Pix? Em algum momento, alguém já deve ter perguntado sobre o novo meio criado pelo Banco Central do Brasil que permite transferências e pagamentos com agilidade e sem as habituais taxas que transações como TED e DOC possuem. 

Se você ainda não tem e quer saber mais sobre essa tecnologia, vamos ajudar aqui a entender um pouco mais sobre essa funcionalidade e como fazer transferências hoje mesmo.  

Pix é um meio totalmente seguro para transações bancárias. A grande vantagem é não pagar taxas e não precisar esperar o próximo dia útil para receber o pagamento. O dinheiro é transferido em poucos segundos. 

Como começar a usar o Pix? 

Para identificar você e o banco em que possui sua conta, é preciso criar uma chave. As opções de chave são: CPF, CNPJ, e-mail, número de celular ou chave aleatória (uma sequência alfanumérica gerada aleatoriamente que poderá ser utilizada por usuários que não queiram vincular seus dados pessoais às informações de sua conta transacional)Ao fazer um Pix, o sistema identifica as informações da conta do credor a partir dessa chave. 

Você mesmo pode fazer o seu cadastro no aplicativo do seu banco. É simples e intuitivo. Caso tenha alguma dúvida de como cadastrar, entre em contato com o seu gerente ou atendimento virtual do banco. 

Como posso usar o Pix? 

Você pode usá-lo para: 

  • transferências entre pessoas; 
  • pagamento em estabelecimentos comerciais, incluindo lojas físicas e comércio eletrônico; 
  • pagamento de prestadores de serviços; 
  • pagamento entre empresas, como para fornecedores, por exemplo; 
  • recolhimento de receitas de Órgãos Públicos Federais, como taxas (custas judiciais, emissão de passaporte etc.), aluguéis de imóveis públicos, serviços administrativos e educacionais, multas, entre outros (esses recolhimentos poderão ser feitos por meio do PagTesouro); 
  • pagamento de cobranças;  
  • pagamento de faturas de serviços públicos, como energia elétrica, telecomunicações (telefone celular, internet, TV a cabo, telefone fixo) e abastecimento de água; e 
  • recolhimento de contribuições do FGTS e da Contribuição Social (a partir de 2021).